terça-feira, 25 de março de 2014

Entrevista exclusiva com Marc Swersky, músico/compositor/produtor vencedor de 2 Grammys, mentor e descobridor de Jacquie Lee

Lovelees/Jacqattacks, é com muito orgulho que publicamos esta entrevista exclusiva com o excepcional Marc Swersky, músico/compositor/produtor vencedor de 2 Grammys, mentor e descobridor de nossa mini-diva, Jacquie Lee. Marc fala sobre como descobriu Jacquie, seu projeto e trabalho para desenvolvê-la, como a convenceu a participar do The Voice e o que podemos esperar de sua carreira. Esperamos que vocês curtam, assim como tivemos um enorme prazer ao fazer esta entrevista!



JLB: Olá! Primeiramente, agradecemos muito pela oportunidade que nos foi concedida. É uma grande honra entrevistá-lo. Você é um compositor, produtor e músico de grande sucesso. Ganhou 2 Grammys como compositor, vendeu mais de 50 milhões de cópias e gerenciou carreiras de muito sucesso, entre outros grandes feitos. Qual o seu segredo?
MSBem, obrigado! Para ser honesto, não tenho ideia. Tudo decorre de um trabalho árduo, prestando atenção ao meu ofício, e sempre aprendendo com os outros com quem trabalho. Eu sou um jogador de equipe e sempre tento trazer o melhor das pessoas, pois eles trazem o melhor de mim. Oh, e um pouco de sorte não faz mal também.


JLB: Como exatamente é o projeto “Monocentric Music”? Pode nos contar como é a experiência de guiar uma pessoa no meio musical, extraindo seu talento e a ensinando como produzir e escrever suas próprias músicas?
MSMonocentric Music é uma Empresa de serviço completo de Gravação e Produção que foca no desenvolvimento do artista à moda antiga. É conduzida por mim e pelo meu parceiro de negócios, Ted Stachtiaris. No Monocentric Music, acreditamos em boas canções e na arte autêntica. Nós não seguimos apenas tendências. Em vez disso, nós visamos trazer o melhor de cada artista, para que possamos estabelecê-los em carreiras duradouras nesta indústria em constante mudança.
Eu também conduzo um programa chamado "The Music Mentoring Experience" (MME), onde o foco são sessões de tutoria com jovens, aspirantes à cantores e compositores. Este ambiente é o lugar onde eu comecei a trabalhar com Jacquie Lee. Em primeiro lugar e, principalmente, eu me considero um desenvolvedor de artistas. É preciso muita paciência e foco para conseguir que jovens artistas percebam quem são. Acredito que eles devem aprender a sua história. Isso significa que eles devem entender de onde os artistas que eles conhecem e amam vêm. Assistir um jovem encontrando a si mesmo artisticamente, através de nosso trabalho árduo, é tudo o que eu preciso para continuar neste negócio. Para mim, não é sobre o resultado final, é sobre a aprendizagem ao longo do caminho. 

JLB: Em sua última entrevista à revista “Living in Media”, Jacquie contou que você a conheceu em um evento chamado “Rockit”, oportunidade em que a viu cantar e se encantou com a sua voz. Conte-nos um pouquinho sobre esse dia. O que te impressionou na performance da Jacquie? Quais são as características mais marcantes dela?
MSMinha namorada, a cantora e compositora Brielle Brown, e eu fomos convidados para um evento ao ar livre por outro de meus alunos do MME, Michael Arrom. Estando lá, ouvimos o início de "With a Little Help From My Friends", dos Beatles, e essa menina abriu a boca e começou a cantar. Brielle e eu nos viramos um para o outro e dissemos: "Quem é essa?" Eu sabia naquele momento que Jacquie tinha um talento significativo. Na época, ela tinha apenas 14 anos de idade e grandes instintos criativos naturais. Não muito mais tarde, falei com Jacquie e seus pais, Denise e Rich Lee, e decidimos começar uma relação de trabalho juntos.


Jacquie Lee canta "With a Little Help From My Friends", dos Beatles, oportunidade onde Marc a conheceu

JLB: Na mesma entrevista para a revista “Living in Media”, Jacquie fala que não tinha a intenção de participar novamente de outro reality show em razão da experiência tida no X-Factor. Pelo que ela disse, você foi o grande responsável pela sua participação no “The Voice”, pois conseguiu convencê-la. Como você se sente com o resultado disso tudo, com o desempenho dela durante o programa e toda a repercussão que ela causou no mundo musical?
MSJacquie fez a audição para o X-Factor, mas eles não a escolheram. Depois de trabalhar com a Jacquie, sugeri que eu poderia enviá-la para uma audição especial da indústria em que estou inserido. Eu a disse que ela não tinha nada a perder e que faríamos tudo o que podíamos na preparação para fazer a melhor audição possível. Jacquie, Brielle e eu trabalhamos todos juntos, como uma equipe, para ter certeza disso. Obviamente, ela surpreendeu totalmente os produtores (como nós sabíamos que ela faria)! Estou muito orgulhoso do que a Jacquie fez no programa!


JLB: Quando a Jacquie foi selecionada para participar do The Voice, quais foram os conselhos que você deu para ela?
MSDesde o primeiro dia de trabalho com a Jacquie, eu sempre a disse que você deve entender bem a si mesmo o suficiente para entender a música. Se houver letras que você não entende, faça sua pesquisa e tente encontrar o seu lugar dentro da canção. Pegue "House of the Rising Sun", por exemplo. Jacquie nunca viveu aquela vida, mas, por encontrar o seu lugar dentro dela, foi capaz de fazer um trabalho brilhante! Além disso, eu disse a ela para se certificar de estar sempre confortável com a chave da canção, e que isso é fixar uma boa região em sua voz. Também disse a Jacquie para nem sempre acreditar na “hype”, trabalhar duro, não se desleixar e, mais importante, - divertir-se!


JLB: Você esperava que a participação da Jacquie no The Voice fosse ter essa dimensão? O quanto você acha que ela evoluiu no programa?
MSJacquie cresceu imensamente durante todo o programa. Estava muito focada e dedicada. Ela tem uma natureza competitiva que, realmente, mostrou e lhe proporcionou todo o caminho até a final.


JLB: Em alguns momentos, o programa nos mostrou o apoio que os familiares davam aos participantes e pudemos perceber o apoio incondicional que Jacquie recebia de seus pais. Quando você foi conversar pela primeira vez com os pais da Jacquie, falar do seu interesse em treiná-la, qual foi a reação do Sr. Richard e da Sra. Denise? O que eles acharam da ideia?
MSJacquie vem de uma família extremamente amorosa e solidária, que quer o melhor para ela. Eles não foram nada menos do que favoráveis e animados para ter a Jacquie trabalhando comigo.


JLB: Nós, fãs, nos encantamos pela Jacquie, não só pela brilhante cantora que é, mas pela pessoa que demonstra ser: gentil, carismática e, acima de tudo, divertida. Você, que a conhece no dia-a-dia, como a descreveria?
MSO que você vê é a realidade! Acima de tudo, ela tem um bom coração e não se leva muito a sério.


JLB: Na primeira oportunidade que você teve para conversar com a Jacquie, após o programa, o que pôde sentir dela acerca dessa dimensão que foi a participação dela no programa?
MSConvidei Jacquie para cantar em um show beneficente no Teatro The Count Basie, em Red Bank, Nova Jersey, no dia seguinte ao que ela voltou para casa, de Los Angeles. Eu a apresentei à lendária Miss Darlene Love e a convidei para cantar com um dos artistas do Monocentric Music, Gedeon Luke & The People. Jacquie parecia, compreensivelmente, cansada, mas muito feliz de estar de volta à sua cidade natal. O público ficou emocionado ao vê-la no palco!


JLB: Nós sabemos que mesmo as pessoas que nascem com talento precisam ser moldadas. Como foi a experiência de ser um dos moldadores dessa pedra preciosa chamada Jacquie?
MSTrabalhar com a Jacquie nunca parecia trabalho. Nós sempre nos divertíamos, as músicas fluíam e nós conhecemos um ao outro muito bem. Tenho certeza de que esta pedra vai se transformar em um diamante.


JLB: Como é a vida de um produtor/escritor/músico? Como lidar com esse atribulado meio musical (críticas exacerbadas da mídia, cobrança por músicas de sucesso, etc.)?
MSÓtima pergunta! Primeiro, eu nunca me preocupo em escrever um "hit". Preocupo-me em escrever uma grande canção. Ninguém escreve uma música de sucesso o tempo todo. Se você perseguir escrever um hit, você vai, sem dúvida, falhar. Eu trabalho incansavelmente, estou muito focado e muito animado para continuar a ser uma parte deste negócio por mais 30 anos. O estado da música agora é muito reacionário. É ditada pela tecnologia em vez do coração e da alma. Isso me deixa triste, mas também me leva a ser uma parte para ajudar a trazer a música de verdade de volta. Quando você ouvir alguns dos artistas com quem estou trabalhando como, Gedeon Luke & The People e Boyd USA, você vai entender o que estou falando. É hora de trazer a música de volta. É hora de uma REVOLUÇÃO.


JLB: Você trabalhou com grandes nomes, como Hillary Duff, e Natalie Cole. É um empresário de grande prestígio no mercado. Durante esses anos, quais tipos de artistas te chamaram a atenção? Em quais você enxergou potencial logo de cara? Você viu esse potencial na Jacquie? O que ela tem que a indústria musical procura?
MSEu tenho muita sorte de trabalhar com tantos artistas talentosos de todo o mundo. O que me impressiona sobre um artista e que me faz querer trabalhar com alguém é a sua honestidade e integridade. Atualmente, estou trabalhando com um artista australiano, agora nomeado, Brad Butcher. Sua natureza séria e capacidade de contar uma grande história foi a primeira coisa que me atraiu nele. Aqui na América, venho desenvolvendo Gedeon Luke por cerca de 5 anos. Comecei a trabalhar com ele logo depois de sua participação na 5 ª Temporada do American Idol. Ao encontrá-lo, sua natureza carismática combinada com esta “old soul” arremataram minha atenção. Seu entusiasmo para criar era contagiante. Ele realmente é uma força a ser considerada. Seu álbum de estreia, "Live Free & Love" será lançado no início de maio.
Eu absolutamente vi o mesmo potencial inexplorado em Jacquie. Ela não tem medo e, se permanecer fiel ao seu coração, pode ter uma longa e duradora carreira.


JLB: Soubemos que você co-escreveu “I Want to Want”. Amamos essa música. Será que conseguiremos ouvi-la no primeiro álbum da Jacquie? Alguma gravadora lhe daria esse tipo de liberdade?
MSObrigado. "I Want to Want" é, na verdade, uma das primeiras músicas que Jacquie e eu escrevemos juntos. Também escrevemos um punhado de músicas bastante incríveis junto com a Brielle. Se uma gravadora for inteligente, vai mostrar a Jacquie e suas músicas para o mundo.


JLB: Em entrevista recente, Jacquie disse estar analisando algumas gravadoras. Sabe se ela já chegou a alguma decisão?
MSFique atento para conferir.


JLB: O que nós (fãs) podemos esperar dos futuros trabalhos da Jacquie?
MSVocê pode contar que Jacquie dá tudo de si o tempo todo.


JLB: Qual conselho você daria para uma pessoa que sonha em seguir a carreira musical? O que ela precisaria ter e fazer para ter uma carreira promissora?
MSÉ muito simples - trabalhar duro, não tomar o caminho mais fácil, não esperar que alguém te dê qualquer coisa, conhecer o seu trabalho, ser humilde e não ter medo. Ninguém tem todas as respostas.


JLB: Mande um recado para a Jacquie.
MSMe liga ;)


JLB: Para fechar, conhece a música brasileira? Se sim, tem algum cantor(a) preferido? Gostaríamos de convidá-lo para conhecer nosso país. Nós te receberíamos de braços abertos! Agradecemos novamente por esta chance única de entrevistar um dos grandes nomes da música em todo o mundo. Foi um enorme prazer! Esperamos que você também tenha gostado. E para nós, fãs da Jacquie, foi muito importante interagir com um dos responsáveis pelo fenômeno que ela é. Você nos motivou a continuar nosso trabalho de divulgação. Torcemos por ela incondicionalmente!
MSNa verdade, eu comecei a trabalhar com Antonio Villeroy, um cantor e compositor brasileiro maravilhosamente talentoso. Então, acho que ele seria o meu favorito! Espero que Brielle e eu tenhamos a oportunidade, em um futuro próximo, de visitar o Brasil para aproveitar a sua cultura e fazer um pouco de música! Obrigado por conversar comigo e por todo o apoio à Jacquie ao longo do caminho!

Jacquie Lee no estúdio do Monocentric Music









4 comentários:

  1. Respostas
    1. Muito obrigada! Foi um grande prazer fazer essa entrevista com o Marc e conhecer melhor a Jacquie! Fique sempre à vontade pra visitar o nosso blog e comentar! =)

      Excluir
  2. Nossa, que ótima entrevista. Adorei saber mais um pouco sobre a Jacquie e o apoio que ela teve, o Marc realmente parece ser uma ótima pessoa. Parabéns, gente!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada! Foi uma grande honra para nós fazer essa entrevista! O Marc é um excelente profissional e ótima pessoa. Foi muito solícito. Ficamos muito felizes por esta oportunidade de conhecer melhor a Jacquie. Fique sempre à vontade para acessar nosso blog e comentar o que quiser. Esse espaço é de todos nós! ❤

      Excluir

Deus é tudo!